sábado, abril 30, 2005

Urgente

Sobre qualquer inspiração de Michele Serra

Certas verdades devem ser ditas antes que a suprema censura soterre de vez o pouco de liberdade que ainda temos para divulgar fatos e expressar opiniões.

Nosso blog tem acesso a incríveis documentos secretos e antes que seja tarde, vamos divulgar aos nossos meia dúzia de gatos pingados leitores.

1-Informantes que temos dentro da agência espacial americana nos revelam a verdadeira razão das viagens a Marte, onde foram levados simpáticos robozinhos que fizeram alguns passeios pelo planeta vermelho. Em verdade, foi descoberto já ha anos atrás que o planeta era vermelho porque forrado de bactérias comunistas e o que é pior, com tendências mussulmanisticas. A guerra bacteriológica preventiva se fazia então necessária. Foram levadas bactérias democráticas que estão pouco a pouco aniquilando os focos de insurreição. Dentro em breve se farão eleições livres e diretas e então finalmente Marte poderá gozar de um pouco da paz bacteriologicamente democrática.

2-O quarto segredo de Fátima, nunca nem mesmo mencionado pela Santa Igreja Romana, se refere ao campeonato português de futebol, com uma lista dos futuros campeões até o ano 2134. A igreja mantém isso no mais absoluto segredo não só por uma certa vergonha e as dificuldades em explicar essa atitude por parte da virgem, mas também para não arruinar as apostas na loteria. Desconfia-se que um padre de Trás-os-montes que ganhou 234 vezes na loteria esportiva e hoje vive em um iate entre Portofino e o Caribe sempre muito bem acompanhado, tenha tido acesso aos documentos, mas por hora a Santa Se não se pronunciou e não vai faze-lo tão cedo.

3- Ayrton Senna não morreu. Está vivo, mudou de sexo com uma operação e vive em um convento em Sertãozinho. Já são mais de dez anos que não abandona a clausura. Adotou o nome de irmã Felipa e reza da manhã até a noite. O acidente foi uma grande cena do Senna. Tomou esta decisão quando descobriu que, depois de fazer um esforço sobre-humano, não só estava apaixonado por uma mulher, o que ocorria pela primeira vez, mas que a mesma era uma meio, ou melhor, era uma totalmente Galisteu e o seu coração sensível não agüentou a humilhação.

4- Os pernilongos, assim como as pulgas, piolhos e baratas e tantos outros pentelhos viventes são todos criados em laboratórios secretos, na sua maioria nas matas paraguaias, aos pés do Vesúvio ou as margens do deserto de Gobi. Todas as industrias de inseticidas e pesticidas participam de um pool que fornece os embriões e também as rações. Isso ocorre já ha alguns anos em razão de um erro tolo de um funcionário da Rodhia que trocando os documentos com as formulas dos produtos da pasta “como deveriam ser” para a “como são” quase causou a extinção em massa destas espécies tão úteis para eles, fabricantes. Hoje a situação já está normalizada e praticamente todos os insetos impertinentes que nos atazanam hoje em nossos lares, são certificados e controlados pelo consórcio.

5- A democracia existe.

quarta-feira, abril 27, 2005

Estréia

Hoje estréia o espetáculo Don Quijote cut & paste opera” do grupo I Piccoli Holandesi de Amsterdam no Nederlands Kamer Opera Festival. Apesar da curiosidade pelo nome do grupo que não se sabe porque é escrito em italiano com erro de grafia e tudo pois olandesi é sem h, me garantem que o espetáculo é de primeira. Faz um resumo do Quixote em chave operística e com musicas inéditas em comemoração ao quarto centenário da publicação da primeira parte da obra de Cervantes. Quem me informa é o próprio tenor Ricardo Prada, que por acaso é brasileiro e mais por acaso ainda temos em comum o fato de que saímos do mesmo útero. Conseqüentemente é informação suspeita, cheia de segundas intenções mas em todo caso quem puder ir lá conferir me faz o favor de informar depois se o rapaz tem razão ou não, se esta cantando direitinho ou se esta só enrolando o pessoal. Falando serio, Ricardo é realmente um grande tenor e faz com maestria o papel de Sancho Pança não só por seus dotes vocais mas sim, bem, digamos a verdade, porque também tem o físico apropriado. Nisso somos muito diferentes.

Para quem perder o espetáculo, pode em todo caso ver a performance de Ricardo em outro gênero, mais popular mas em compensação muito mais argentino. Trata-se do Tango Dorado , um dos maiores grupos de tango da Europa que se apresenta pela Holanda a partir de agosto. No site da pra descarregar e fazer a prova com a Cancion de Buenos Aires, entre outras. Bem, outra hora falo de rock.

segunda-feira, abril 25, 2005

Pausa para os comerciais

O Grillo falante me soprou no ouvido:

Segundo The Economist (aquele jornaleco que ninguém lê e que ninguém dá a mínima bola), a publicidade no mundo faz movimentar a cada ano mais ou menos um trilhão de dólares entre anúncios, veiculações e promoções varias. É dinheiro que não acaba mais, usado para bombardear a mente dos consumidores, aqueles que um dia foram chamados de cidadãos. Hoje o setor extrapolou a simples venda de produtos e serve aos mais variados fins, inclusive ideológicos. O problema é que todo mundo está cheio até as tampas com a publicidade. Eu pelo menos estou.

De acordo com o jornal (o papo sobre jornaleco ali em cima era irônico, será que tenho que dizer?) um americano médio é exposto a 3000 mensagens de marketing a cada dia e dois terços dos consumidores se sentem literalmente bombardeados de excessos de marketing e publicidade. E depois: a internet está substituindo a publicidade como meio de informações sobre produtos. Oito clientes de cada dez da Ford americana, se serviram da internet para decidir pela compra. Ou seja, daqueles mil bilhões de dólares investidos em anúncios e promoções, uma parte significativa é desperdiçada porque simplesmente os consumidores não se baseiam mais nas peças belas e criativas da televisão ou outros meios mas sim nos dados objetivos que encontram na internet. E não é o caso de migrar para a internet enchendo-a de anúncios pois vai em contradição exatamente com a potencialidade e vocação do meio. Cada vez mais as pessoas instalam filtros para se proteger do massacre marketologico e não seria boa idéia continuar a investir em vão. Como diz o Grillo: não serve adicionar publicidade mas sim substituir, ou seja, reduzir a despesa com publicidade na medida que os consumidores aumentam a capacidade de informar-se autonomamente. Vamos gastar esse dinheiro com outras coisas ou reverter em beneficio de quem compra, em outras palavras, baixar os preços.

Segundo Kevin Roberts Ceo da Saatchi & Saatchi, pela primeira vez o consumidor é o chefe. Isso é fascinante e assustador porque tudo aquilo com que éramos habituados não funcionará mais em breve tempo. As empresas que conseguirem entender que estão aqui pra servir e não o contrario sobreviverão. Eu particularmente quero ver as empresas multinacionais aos meus pés, pedindo penico. Vou poder inflar meu snobismo. Bello!

sábado, abril 23, 2005

As regras do jogo

Andam dizendo que não sou snob o bastante para poder afrontar a concorrência dos outros blogs. Vou provar que isso é uma mentira deslavada.

Nosso blog tem poucos dias de vida mas a audiência tem crescido muito e isso nos obriga, de forma muito snob, a determinar algumas regras no que se refere os comentários. Estão proibidos de comentar aqui os seguintes leitores:

- Possuidores de automóveis da marca Fiat.

- Professores com mais de quatro filhos.

- Leitores de filósofos vivos.

- Quem tenta combinar o criacionismo com a teoria da relatividade e a física quântica.

- Homens que fazem xixi sentados e mulheres que o fazem em pé.

- Aqueles que acham que eu não sou snob o bastante para manter o nível de snobismo do meu blog.

Aviso aos caros leitores que isso é só o inicio. Estão me tirando do sério.

quinta-feira, abril 21, 2005

Rapidinhas

Por razões que agora aqui nao cabe detalhar, Dom Beppino, padre de Trento tem o numero de meu celular. Agora ja são mais ou menos três semanas que ele me manda mensagens me convidando a participar dos ensaios da dança da quadrilha com os brasileiros da cidade. Como sou mal educado, não respondo. Mas como me odeio, sou capaz de ir. Devo?

*

Berlusconi dobrou os joelhos. Teve que se demitir e agora trabalha para a sua improvável ou quase impossível reeleição em 2006. Com a vitoria das esquerdas nas ultimas eleições regionais, o governo começou a se desfazer, coisa tipica por estas bandas. Conheço muito italiano que torce para o time que esta ganhando todas. No ano que vem se vê pra quem torcer. Esse é o italiano medio, um ser que historicamente sempre soube fingir e agradar os poderosos de turno. Será que tem outro povo assim no mundo?


*

Ontem foram presas onze pessoas entre funcionários da provincia e empresarios da construção civil envolvidos em um caso de "tangenti", ou seja, a bola, o molhar a mão do anjo, a comissão, os famosos dez por cento. Faziam licitações e contratos absolutamente fajutos, so pra inglês ver. Bem, isso no Brasil é diferente.

terça-feira, abril 19, 2005

DICAS DE LEITURA

A cultura está por toda parte e nós estamos em uma fase muito cultural. A literatura é uma das nossas atividades preferidas. Estamos lendo muito e com isso estamos aprendendo tantas coisas. Lemos todas as placas e cartazes de rua. Isso implica em eventuais atrasos nos compromissos, mas quando lá chegamos somos pessoas decididamente mais preparadas e isso faz a diferença. Lemos também os rótulos das embalagens, tudo faz cultura. Ficamos impressionados de como o personagem Lauril-eter-sulfato de sódio é presente no cenário literário. Diremos que ele é um personagem chave em muitas tramas, dos xampus aos detergentes de louça, passando pelos sabões líquidos. Como é vasta e surpreendente a cultura!
Dentro deste espírito literário, gostaríamos de comentar criticamente uma obra que apenas acabamos de ler. Chama-se “O manual do autoradio com toca CD”. Com um texto muito claro e preciso, o autor nos leva a percorrer os caminhos que vão da instalação à programação, passando pelos menus e controles especiais. Tudo recheado de muitas passagens com alusões a sexo, ação, violência e mistério.

Com uma linguagem erótica sem grandes eufemismos, o autor nos brinda com frases que ao nosso entender entrarão na historia das belas letras. Um exemplo: "Introduza o pino com a tarja vermelha no orifício correspondente" ou então “Para extrair o corpo central do gabinete, faça movimentos de vai e vem ritmados e delicados". Depois, o mais incrível deste livro é que as partes de ação, da violência e do mistério não são em nenhum momento descritas mas sim vivenciadas pelo leitor! Quando chegamos ao clímax, onde a narrativa se torna ágil e emocionante, descobrimos que o radio deveria se desligar automaticamente quando toca o celular. Como o nosso radio não faz nada disso, somos impelidos a voltar a oficina que nos instalou o radio (a ação) e mais impelidos ainda a reclamar do fato. Nesse momento e aqui acreditamos que tudo não passa de uma grande obra multimídia (que cultura!) o rapaz começa a nos insultar e chega a ensaiar uns tabefes (a violência) diante de nossa insistência. Ele repete sem parar que aquele modelo que compramos não tem esse recurso. Ficamos entretanto pensando muito em como é que está escrito no manual algo que não tem no produto (aí esta o mistério).


No final da leitura e da ação e etc, fica a sensação de se ter fruído de uma obra muito bem construída em seu conjunto, que nos proporcionou sensações e sentimentos muito variados. Fica porém uma nota de desagrado em relação à tradução do chinês para o italiano. Como todos sabemos, as traduções do chinês para o italiano são todas feitas por um garoto de Xangai e como ele está entupido de trabalho, algumas coisas faz nas coxas e realmente fazem cagar, o que de um certo modo entendemos. Mas como não queremos aqui fazer o papel de frouxos que não levam as coisas a sério, achamos que algumas chibatadas o menino bem que merece.

segunda-feira, abril 18, 2005

Algo me atingiu

Eu sei, tenho certeza de que quando sair pela porta o funeral já terá terminado. Quando cheguei aqui hoje me pareceu mesmo estranho não encontrar estacionamento e tive que dirigir para longe em busca de uma vaga. Passando vizinho à igreja pude ver uma multidão espremida e então entendi o porque das ruas vazias. Lembrei-me da noticia lida pela manha e me vieram a mente os dois rapazes que perderam a vida em uma curva onde o automóvel foi encontrar a única arvore em questão de centenas de metros. Os seus corpos começaram o mais longo processo da vida que é o da não existência.

Todos os dias os jornais locais noticiam uma morte de jovens, invariavelmente em acidentes de moto ou carro, invariavelmente entre meia noite e cinco da manhã, invariavelmente pouco depois de se despedirem de amigos em um bar ou pub. Invariavelmente também os jornais nunca dizem que a causa pode ser o álcool. Dizem sempre que as causa serão acertadas, talvez tenha sido um mal estar, ou uma desgraça causada por um pouco de pressa já que a intenção era chegar logo em casa para não preocupar mamãe. Nunca dizem que os infelizes estavam enchendo a cara e resolveram fazer um racha ou coisa do tipo. Nunca. Um pouco por respeito aos mortos, mas também por questões de interesse. A região está pouco a pouco se transformando em um vinhedo e a produção de vinho e grappa cresce de ano a ano. Daqui a pouco não plantam mais comida e se der crise no vinho, vamos comer casca e folha de uva.

Dizendo isso pode parecer que sou um moralista abstêmio. Gostaria de ser, mas não è o caso. Na verdade sou um sobrevivente dessas loucuras todas e no fundo tenho muita sorte de estar ainda aqui escrevendo. Porem aquela historia de ter sempre um amigo sóbrio para dirigir me parece, para dizer o mínimo, uma idéia pra lá de razoável. O problema è decidir quem faz o motorista naquela noite. Sorteio seria uma boa, ou então no palitinho. Para combinar com o ambiente de bar me parece perfeito o palitinho.

Olho pra fora e me parece que o funeral já acabou. Um deles tinha 19 anos e o outro 17. Vejo as mães que saem também praticamente mortas pela dor e a multidao de jovens que choram de cabeça baixa. Sexta feira deixo o palitinho pra lá. Me ofereço pra levar os amigos pra casa.

domingo, abril 17, 2005


O som do dia. Mas afinal, quem sao eles?

sexta-feira, abril 15, 2005

Amizade

A mãe dos cretinos está sempre grávida e eu tenho um quase perfeito cretino bem na minha frente nesse momento que escrevo. È quase perfeito porque em teoria não existe a perfeição absoluta, mas garanto que nosso amigo aqui esta quase lá. Depois é evidente que essa historia da mãe dos cretinos estar sempre grávida me põe um pouco pensativo. Sei que tem muita gente, até demais para meu gosto, que me considera um cretino e isso efetivamente vem ofender minha boa mãezinha que seguramente não esta grávida e também não merece certos títulos. Ainda assim, esse energúmeno aqui na minha frente insiste em me sugerir modos inéditos de fazer as coisas e por azar, meu e dele, são novidades de oito anos atrás, mas que ele me apresenta com um ar professoral mais irritante que musica house. Tenho que entender ainda a psicologia do fato. Eu sou estrangeiro, ou quase, mas de qualquer maneira venho do terceiro mundo e portanto devo saber menos e o que é pior, devo entender de modo diferente as coisas. Isso claro, na visão do cretino. Ou será que ele mede minha ignorância a partir da sua, como de costume fazem os cretinos? A questão não é simples, pois como disse, muitos me consideram cretino e o que é pior, inclusive eu mesmo, portanto o preconceito que me leva a considerar meu colega um cretino é o mesmo mecanismo que o leva a tratar-me como tal. Estamos engaiolados.

Nesse momento ele me vê aqui digitando e deve imaginar que na verdade estou escrevendo besteiras e só fazendo de conta que estou trabalhando. Que cretino. Depois ele dá um sorrisinho e fica lá também digitando e fazendo de conta que está trabalhando, mas eu sei que passa horas a chatar com só deus sabe quem. Cretino.

Um momento. Agora me olha e me pergunta, sempre sorrindo o cretino, se já tenho prontos os desenhos para segunda feira. Tudo isso para testar minha calma, para me ver perder o controle já que ele era seguro que eu estava escrevendo bobagens e não trabalhando. Respondo que ainda não terminei os desenhos mas estou tranqüilo pois o trabalho já esta em um bom ponto, tão bom que eu poderia estar nesse momento chatando com alguém. Hehehe. O cretino agora está vermelho, sinto como que se tivesse marcado um gol. Desgraçado que sou, minhas satisfações são assim pequenas, mas não ha de ser nada, pode sempre melhorar.

-Ok então vamos tomar um café. Me sugere.

-Muito bem, ótima ideia.

-Sim, você precisa dar uma pausa, anda trabalhando muito ultimamente.

-Você também, te vejo mergulhado nesse computador e temo pela sua saúde meu caro.

-Você é realmente um amigo, mas estou bem. Entanto agradeço pela preocupação.

-Não é por nada, amigos são pra isso e além de tudo eu já tive um problema com o stress.

-Acredito, do jeito que trabalha!

-Precisamos ir pescar juntos qualquer dia. Relaxa que só vendo.

-Estou de acordo, afinal a gente se da tão bem aqui no trabalho que nada mais natural que a gente se freqüente fora também.

-Natural, amigo.

O café foi ele que fez e tinha gosto de mijo mal conservado e ele me sorria com aquela cara de cretino nojento com aqueles dentes pontudos e eu ja estava quase vomitando. Como pude sugerir uma pescaria? Esse cara è horroroso. Quando eu lhe digo bom dia ele me pergunta: o que você entende por bom dia ? Quando temos que empacotar algo ele me ensina como se faz um nó. Ele me mostra sempre o botão do elevador, sempre, sempre. Posso imaginar ir pescar com esse cretino. Meu pai o que fui fazer?

Agora esta me olhando com aquela cara de professor, ai meu saco. A culpa è minha, mea culpa.

- Porque esta batendo no peito?

- Nada não, mas diga.

- Quando formos pescar, te devo mostrar certos truques infalíveis.

- Mas certamente, tenho certeza que vou adorar. Amigo.

terça-feira, abril 12, 2005

Rapidinhas

O psicólogo B. J. Fogg, diretor do Persuasive Technology Lab da Universidade de Stanford é um estudioso da Captologia, que vem de Computers as Persuasive Technologies, ciência que estuda a suposta manipulação das nossas mentes através da internet. Segundo declara, a internet seria o novo veiculo de manipulação de idéias, plena de intenções ocultas e com o objetivo de dirigir nossas ações para fins específicos. No nosso caso, estamos na internet, mas as intenções aqui são claríssimas. Queremos só criar este espaço democrático de debate e cultura. Porem, quando surgir na tela um numero de conta corrente, você, não resista, deposite lá vinte por cento do seu salário. E agora relaxe, relaxe.........relax.......zzzz


Subindo a montanha outro dia nos deparamos com um velho com barbas longas. Velhos com barbas longas são todos sábios, isso é garantido. Nos aproximamos e pedimos que nos dissesse o que lhe viesse do coração. Ele então nos olhou no fundo dos olhos e proferiu: “A uva quando cai madura não rola pelo chão como a uva quando cai verde”. Por longos minutos meditamos e restamos ali a entreolharmo-nos. Pensamos mesmo muito e no final tivemos que perguntar: Bem...e dai? O velho de novo nos olhou cofiando a longa barba e disse: “e dai o que?”

Argumentei: essa coisa da uva rolar madura...não entendi direito.

“O que você queria entender, a uva rola, e dai?” me disse o velho.

De novo nos olhamos por minutos e ai então entendi tudo. Tudo. Puta merda como fui burro de não perceber antes? Perdi todo esse tempo pra entender que o velho era um completo idiota.


Hoje inaugura Il Salone del Mobile 2005 em Milao. Uma mostra enorme com praticamente tudo o que a Itália produz nos setores moveis e iluminação mais todos os eventos paralelos que ocorrem simultâneos e angustiam quem gostaria de estar em mais de um e ainda não tem o poder da ubiqüidade. Alem da grande industria estão em mostra designers, arquitetos, fotógrafos, art-makers, lunáticos, modernetes e mais todo um bando de gente que gravita em torno desse mundo achando que tudo é só glamour e muita grana e que não precisa trabalhar muito. Acho que pegar no pesado pelo jeito nenhum deles quer não. No ano passado fiquei pela via Tortona , um dos circuitos do chamado “fuori salone” e que esta se transformando em um novo pólo de espaços culturais e centros de exposições do mais variado tipo. Tinha mares de gente e foi muito divertido. Só que cortar cana que é bom ninguém queria mesmo.

segunda-feira, abril 11, 2005

Comer bem

Para fazer uma bela lasagna emiliana típica bolognese (pode ser bolognese típica emiliana que o sabor è surpreendentemente o mesmo), os ingredientes devem ser selecionados e frescos. A massa deve ser feita com um certo senso de reverencia e a dedicação deve ser espontânea com nenhum traço de enfado ou sentimento de obrigação. Ao meio quilo ou mais de farinha simpaticamente peneirada em forma de vulcão, jogam-se com arte dois ou três ovos na cratera e a variabilidade serve a nos lembrar que uma lasagna não é algo cartesiano mas sim um ser vivo e por isso com mil possibilidades e sutilezas. Não contentes com o feito, metemos ainda um purê de espinafre, onde as folhas foram previamente refogadas na manteiga com alho e cebola. A quantidade só nossa sensibilidade saberá decidir. Com a mão direita se vai mexendo o tudo deixando a gloriosa esquerda livre para coalizões e alianças imprevisíveis. Um pouco de sal e óleo de oliva, fazem o tempero. Amassamos agora com mais energia, porem com as feições de quem se diverte em modo plácido. A consistência deve ser o da massinha de modelar e devemos sova-la por minutos ate que fique lisa como o bumbum de nenê da canção. Tudo vai coberto e vai a repouso que a surra foi tanta. Terminada a empresa, sorrimos satisfeitos e merecemos um primeiro gole de vinho.

Vamos então aos molhos. São dois e são complementares seja no sabor que na aparência. O primeiro é o tradicional ragu de carne que é simplesmente preparado deitando-se cuidadosamente uns pedaços de gordura de presunto cru de Parma em uma panela e fazendo-os um pouco derreter com óleo de oliva virgem. Se não tiver a disposição o presunto de Parma não se preocupe, porem, no entanto, desista de fazer esse prato. Os seus convidados notarão seguramente o desfalque e os elogios não serão do fundo do coração e você sentirá isso. Melhor não estragar dessa maneira a noite. Voltando ao molho, quando a gordura estiver já meio derretida adicionar cebola, cenoura e salsão muito bem picados e deixar isso tudo ali por minutos que variam de acordo com o seu estado de espírito. Quando algo te disser que deve jogar a carne moída mista bovino e suíno sobre o sofritto, faça-o. Nesse momento se alçará um perfume que começará a andar além dos teus confins e com isso certas precauções com vizinhos entrões, pidões e bicões devem ser tomadas. Agora este momento é de precisão. Quando tudo assumir a cor marrom e o som se assemelhar a algo que frita, joga-se um belo copo de vinho tinto fazendo um ruído característico. Tranqüilos mexemos e já quase distraídos metemos em comunhão o purê de tomates e o sal. O fogo vai abaixado quase como fosse uma vela a louvar essa delicia e deixa-se ali por algumas horas.

O molho branco se faz despejando um tanto de manteiga em uma panela e em seguida quando a coisa derreter, a farinha finíssima vai por sobre, merecendo uma mexida formando uma pasta grossa e nesse ponto pode vir o desespero. Para alguns justificado, para outros totalmente vão. O leite de vaca vai então caindo aos poucos e com isso o que parecia a ruína da culinária vai se transformando em um creme liso e aveludado, provando que as metamorfoses também podem ser coisas muito mais caras que baratas. Nesse ponto se leva do fogo e de modo sincero fazemos cair dentro um pouco de creme de leite fresco e uma boa ralada de noz moscada e sal. Se brinda a isso com o bom e velho vinho tinto.

Nesse momento de transição fazemos qualquer comentário sobre isso ou aquilo e em seguida voltamos a obra. Abrir a massa. Os puristas, o fazemos com um simples cilindro de madeira longo mais ou menos 83,4 cm e de diâmetro aproximado de 4,8 cm. Trabalha-se ate que os pedaços de massa estejam com algo em torno dos 0,82 mm de espessura. Jogamos então os grandes pedaços em água fervente e salgada, fingindo indiferença. Dois ou três minutos e basta.

Temos agora que colocar todas estas belezas em coerente reunião. Fazemos em uma forma refrataria retangular das dimensões necessárias uma chuviscada de óleo extra virgem de oliva. Algo ainda se encontra virgem neste mundo e por sobre fazemos as camadas de massa, ragu e molho branco, somando um total de seis. Seis camadas, não quatro, não oito, seis. Nós estamos falando de tradição e isso não vai discutido. Lembre-se dos convidados e seu julgamento. Menos de seis é depreciativo, mais é uma afronta. Lembre-se do pé direito da Cicarelli. Quando o edifício estiver com os seus seis andares fazemos a cobertura com o queijo parmiggiano ralado. Atenção. Depois de todo este trabalho, arruinar tudo com um queijo argentino seria de uma leviandade sem igual. A recompensa vem se andamos ate o fim com retos propósitos e para alcança-la, em nosso caso o queijo não vai tomado como mero complemento mas sim como o próprio espírito que anima a nossa sinfonia de sabores.

Agora forno. Cento e oitenta graus por quarenta ou mais ou menos minutos e é tempo para mais brindes e festas com o vinho. Se por acaso aquela garrafa já é vazia, aconselho vivamente a abrir outra. Terminado o tempo, a crosta deve ser dourada e crocante e o interior macio e suculento. Um conselho final. Se por acaso seu convidado não o encher de elogios muito comovido e emocionado, nunca mais o convide para qualquer outra atividade que seja, essa pessoa simplesmente não vale a pena. Melhor ainda. Convide-o da próxima vez a ir comer fora e leve-o de surpresa a um Mcdonalds e faça-o entrar na frente. Quando ele entrar na lanchonete, saia correndo e volte pra casa. Quem sabe sobrou algum pedaço da lasagna?


Ladislaw

sexta-feira, abril 08, 2005

Atleta

Desde que parei de fumar já engordei uns vinte quilos, eu acho. Antes me pesava mas isso era quando fazia esporte e era magro. Agora nós já entendemos como é a situação, não temos mais necessidades de medir ou verificar.

Após instalar um espelho curvo no banheiro, não tenho mais problemas para manter a linha. Outra coisa que emagrece é andar só com gente muito gorda do lado. Tenho escolhido meus amigos pela circunferência, que é pra garantir o contraste.

Antes de me conformar com a situação entrei para fazer um programa em uma academia de ginástica. O instrutor no primeiro dia ficou me fazendo perguntas sobre se era verdade que no Brasil se come bem pra caramba, que tem um monte de carne etc. Porra, eu pedalando e o cara falando de comida. Naquele dia cheguei em casa e mandei brasa em um monte de presunto com yogurte de morango, tudo dentro do pão preto.

No dia seguinte ele falava comigo e me perguntava o que é picanha, enquanto mastigava um sanduíche de mortadela e eu empurrava uns pesos com as pernas. Botei banca e fiquei falando mais de uma hora, pois o tema picanha é vasto, mas não só, introduzi também os conceitos de maminha, alcatra e cupim e o meu novo amigo me olhava com olhos brilhantes e vivos. Depois da ducha abri a geladeira com um chute e engoli o que caiu sem nem mesmo olhar o que era.

Terceira aula. Meu caro professor veio todo animado dizendo que decidiu comprar uma passagem para o reveillon no Rio e queria saber mais. Durante a minha sessão na esteira pude lhe revelar a feijoada, o vatapá e o frango ao molho pardo. Esse pobre mortal já não sabia se conter da alegria e eu rapidinho me mandei para a pizzaria do Nando e tracei uma margherita e uma quatro estações com pimenta.

E foi assim que terminou minha experiência atlética.

quinta-feira, abril 07, 2005

Campanha

Hoje quando acordamos uma voz lá do intimo dizia para irmos abrir a gaveta quatro do armário dois. Como a voz do intimo vai sempre respeitada e levada em conta, abrimos a tal gaveta e para nossa surpresa saltou fora nossa gravata toda amarela que se mantinha em posição de ataque como a ninja quando sai do cesto do encantador. Olhamos para o nosso fundo intimo e dissemos: mas que raio de mensagem bonita!! Temos que propalar esta voz. Na Roma espúria e indigna se terá de novo uma eleição indireta. Nós propomos e queremos e exigimos eleições livres e diretas. Diretas já!! E se quem quer a mão quer também já o braço, façamos conjuntamente a campanha para as eleições livres, diretas e com o voto nulo.

quarta-feira, abril 06, 2005


Isso explica muita coisa

terça-feira, abril 05, 2005

Desejo

-Lauro!

-Pois não senhor!

-Lauro, traga-me uma minhoca.

-Pois não senhor!

Lauro saiu da sala, passou pelo deposito junto à garagem, apanhou luvas e uma enxada e dirigiu-se a horta nos fundos da ala da criadagem. Bateu com a enxada no solo uma ou duas vezes. Apanhou a minhoca e levou-a a seu patrão.

-Aqui está senhor!

-Jogue-a no aquário.

-Pois não senhor!

Lauro jogou a minhoca no aquário, onde foi logo devorada pelos peixes. Voltou-se:

-Mais alguma coisa senhor?

O patrão estava com um estranho olhar, um vago sorriso. Disse: - Não!

E morreu.

BASTA!

Nao posso mais nem ouvir a palavra. Ao ponto que acabo de jogar uma lata de farinha lactea inteirinha, basta.

segunda-feira, abril 04, 2005

Rapidinhas

O doutor Irving Weissman do instituto de biologia e medicina das células estaminais e cancerógenas da Universidade de Stanford, está fazendo experiencias no sentido de inserir células de cérebro humano em um rato. Estão pensando ja em fazer um rato com um cérebro 100% humano. Espero que tudo dê certo, pois de humanos com cérebro de rato eu já estou de saco cheio.

Começo a ler o livro " Q " (em italiano se diz cu) de Luther Blissett ambientado nos mosteiros renascentistas do seculo 16. Vamos ver o que sai desse Q.

Na bella e rica Riva del Garda tambem tem piolho. Minha filha chegou com essa novidade e nós estamos tentando fazê-la tirar isso da cabeça. Isso no Brasil eu praticularmente nunca vi, enfim...

Segundo se apurou atravéz escuta telefonica, Bush está apoiando Cicciolina para substituir Berlusconi. Dizem que ele esta já cansado de um que só lhe lambe o cu.

domingo, abril 03, 2005

Simbolos

Domingo passado postei uma foto da obra de Hans Holbein: "The Ambassadors" de 1533. Falarei aqui no futuro proximo sobre a simbologia nas obras de arte do renascimento e seria interessante notar para quem nao conhece ainda este quadro a mancha um pouco estranha na parte central inferior do quadro. Se alguem consegue definir ou ja conhece se faça sentir. Em qualquer modo falarei desse quadro e principalmente da obra de Leonardo e Michelangelo sob o ponto de vista simbolico em proximos posts.

Da janela do meu quarto

sexta-feira, abril 01, 2005

Armadilhas

Ando navegando sempre mais pela blogosfera brasileira, pois a italiana ja conheço ha mais tempo e tenho notado algumas coisas sobre as quais penso escrever mais algum dia se Baco me permitir. Mas o que mais me salta aos olhos é a maneira tao americanizada de pensar e agir que hoje vejo tomou conta de forma absoluta da cultura brasileira. O que vejo sao particulares e indicios mas que pouco a pouco vao formando a imagem do meu mosaico. Outra hora falo mais, de qualquer maneira falo sozinho mesmo, nao temos pressa.

Primeiro de abril

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Há muitas explicações para o 1 de abril ter se transformado no Dia da Mentira. Uma delas diz que a brincadeira surgiu na França. Desde o começo do século XVI, o Ano Novo era festejado no dia 25 de Março, data que marcava a chegada da primavera. As festas duravam uma semana e terminavam no dia 1 de abril.

Em 1564, depois da adoção do calendário gregoriano, o rei Carlos IX determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1 de janeiro. Alguns franceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, pelo qual o ano iniciaria em 1 de abril. Gozadores passaram então a ridicularizá-los, a enviar presentes esquisitos e convites para festas que não existiam. Essas brincadeiras ficaram conhecidas como plaisanteries.

Em países de língua inglesa o dia da mentira costuma ser conhecido como April Fool's Day ou Dia dos Tolos, na Itália e na França ele é chamado respectivamente pesce d'aprile e poisson d'avril, o que significa literalmente "peixe de abril".

Superstições

Tradicionalmente, supõe-se que as peças encerrem a meio-dia. Supõe-se que os feitos posteriormente tragam a má sorte ao perpetrador. Contudo, isto não é universalmente aceito, e muitas peças já foram praticadas depois do meio-dia.

Alguém que não consegue aceitar os truques, ou tirar proveito deles dentro do espírito da tolerância e do divertimento também deve sofrer com a má sorte. Também se diz que aquele que for enganado por uma bonita menina será recompensado com o matrimônio, ou pelo menos a amizade dela.

Outro mito ou a superstição diz que o matrimônio no Dia da Mentira não é uma boa idéia e que um homem que se case nessa data será para sempre controlado pela esposa.

Atualidade

A Internet faz com que seja difícil de saber se uma peça é perpretada antes ou depois do meio-dia. Os fusos horários são diferentes em partes diferentes do mundo. O 1 de de abril (ou primeiro de abril) não acontece simultaneamente em todo o mundo.

Pessoas não-residentes no ocidente pouco conhecem o o costume do Dia da Mentira e são mais vulneráveis a peças na internet.

Este Blog tem como principio dizer sempre a mentira, a não ser no dia primeiro de abril.

More blogs about lixo tipo especial.