sexta-feira, abril 15, 2005

Amizade

A mãe dos cretinos está sempre grávida e eu tenho um quase perfeito cretino bem na minha frente nesse momento que escrevo. È quase perfeito porque em teoria não existe a perfeição absoluta, mas garanto que nosso amigo aqui esta quase lá. Depois é evidente que essa historia da mãe dos cretinos estar sempre grávida me põe um pouco pensativo. Sei que tem muita gente, até demais para meu gosto, que me considera um cretino e isso efetivamente vem ofender minha boa mãezinha que seguramente não esta grávida e também não merece certos títulos. Ainda assim, esse energúmeno aqui na minha frente insiste em me sugerir modos inéditos de fazer as coisas e por azar, meu e dele, são novidades de oito anos atrás, mas que ele me apresenta com um ar professoral mais irritante que musica house. Tenho que entender ainda a psicologia do fato. Eu sou estrangeiro, ou quase, mas de qualquer maneira venho do terceiro mundo e portanto devo saber menos e o que é pior, devo entender de modo diferente as coisas. Isso claro, na visão do cretino. Ou será que ele mede minha ignorância a partir da sua, como de costume fazem os cretinos? A questão não é simples, pois como disse, muitos me consideram cretino e o que é pior, inclusive eu mesmo, portanto o preconceito que me leva a considerar meu colega um cretino é o mesmo mecanismo que o leva a tratar-me como tal. Estamos engaiolados.

Nesse momento ele me vê aqui digitando e deve imaginar que na verdade estou escrevendo besteiras e só fazendo de conta que estou trabalhando. Que cretino. Depois ele dá um sorrisinho e fica lá também digitando e fazendo de conta que está trabalhando, mas eu sei que passa horas a chatar com só deus sabe quem. Cretino.

Um momento. Agora me olha e me pergunta, sempre sorrindo o cretino, se já tenho prontos os desenhos para segunda feira. Tudo isso para testar minha calma, para me ver perder o controle já que ele era seguro que eu estava escrevendo bobagens e não trabalhando. Respondo que ainda não terminei os desenhos mas estou tranqüilo pois o trabalho já esta em um bom ponto, tão bom que eu poderia estar nesse momento chatando com alguém. Hehehe. O cretino agora está vermelho, sinto como que se tivesse marcado um gol. Desgraçado que sou, minhas satisfações são assim pequenas, mas não ha de ser nada, pode sempre melhorar.

-Ok então vamos tomar um café. Me sugere.

-Muito bem, ótima ideia.

-Sim, você precisa dar uma pausa, anda trabalhando muito ultimamente.

-Você também, te vejo mergulhado nesse computador e temo pela sua saúde meu caro.

-Você é realmente um amigo, mas estou bem. Entanto agradeço pela preocupação.

-Não é por nada, amigos são pra isso e além de tudo eu já tive um problema com o stress.

-Acredito, do jeito que trabalha!

-Precisamos ir pescar juntos qualquer dia. Relaxa que só vendo.

-Estou de acordo, afinal a gente se da tão bem aqui no trabalho que nada mais natural que a gente se freqüente fora também.

-Natural, amigo.

O café foi ele que fez e tinha gosto de mijo mal conservado e ele me sorria com aquela cara de cretino nojento com aqueles dentes pontudos e eu ja estava quase vomitando. Como pude sugerir uma pescaria? Esse cara è horroroso. Quando eu lhe digo bom dia ele me pergunta: o que você entende por bom dia ? Quando temos que empacotar algo ele me ensina como se faz um nó. Ele me mostra sempre o botão do elevador, sempre, sempre. Posso imaginar ir pescar com esse cretino. Meu pai o que fui fazer?

Agora esta me olhando com aquela cara de professor, ai meu saco. A culpa è minha, mea culpa.

- Porque esta batendo no peito?

- Nada não, mas diga.

- Quando formos pescar, te devo mostrar certos truques infalíveis.

- Mas certamente, tenho certeza que vou adorar. Amigo.

6 Comments:

Blogger Laura said...

Flávio, vc é uma figura, ainda naoh te saquei e acho que naoh vou decifrar tão cedo.
Cretinice... estamos rodeados e qtas xx somos nós os cretinos?
Um abraço, laura(é cretinice, meu nome é elianne, na verdade, coisa cretina assinar laura!)

1:25 AM  
Blogger Alline said...

Adorei, hahaha. Fiquei lembrando de qdo eu estava na Itália e as pessoas vinham me explicar umas coisas tão banais...eu falava logo: " Ah, na árvore que eu moro lá no Rio de Janeiro também tem computador!"

3:04 AM  
Blogger Rafael Galvão said...

A vida é dura... Muito dura... :)

7:47 AM  
Blogger Allan Robert P. J. said...

O mundo é dos cretinos.
Ciao

12:45 PM  
Anonymous Anônimo said...

Flavio, eu tambem vivi na Italia, e acho incrivel a cretinice geral do povo, que acha que somos subdesenvolvidos, e devem nos explicar as coisas mais banais, para mostrarem sua sabedoria A classe operária italiana e´de uma ignorançia e estupides sem igual.

10:26 PM  
Blogger Flavio Prada said...

Anonymous caro mio.
Creio que a chave de leitura mais oportuna seria a que le meu microconto como um comentario sobre a hipocrisia. Cretinos somos todos em graus e proporçoes variaveis segundo as fases da lua, sejamos nos brasileiros, sejamos nos italianos. Certo, amigo?

10:53 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

More blogs about lixo tipo especial.