segunda-feira, outubro 10, 2005

Armas


“Sempre brinquei com armas, falsas ou de verdade. Quando eu era pequeno eu dei um tiro no pé de meu amigo com a espingarda a pressão porque ele me atormentava e ele se machucou um pouco com isso. Depois, anos mais tarde, já adolescente, um dia na casa de um amigo mexendo no armário do pai dele, encontramos uma arma que eu não sabia que estava carregada e apontei para a cabeça dele e fiz pum. Juro que ali foi acidente. Não me esqueço da impressão que fez a visão de partes do seu cérebro esparramados pelo quarto. A bala entrou pelo canto do olho onde fez um pequeno furo, mas a calota da nuca ficou toda aberta. Foi acidente, juro. Quando eu era já um adulto o azar voltou a me visitar. Eu tinha uma namorada muito linda e a amava mesmo profundamente. Ela quis me fazer uma surpresa, era uma moleca, e invadiu minha casa de noite. Quando vi aquele vulto não tive duvidas e descarreguei minha pistola naquela direção. Coitada da garota, levou quatro perfurações, uma no pescoço, duas no rosto e uma na perna.”


Este texto é fictício, mas infelizmente baseado em fatos reais e desgraçadamente comuns.


O controle do comércio de armas é o primeiro passo para mudar esta realidade.

26 Comments:

Anonymous BethS said...

Pensamos igual, Flavio.
Acho que vai ter muita confusão nesse referendo. As perguntas são invertidas - que quer que sim, vota não e vice versa.
Muito mal formulado, muito confuso.
Mas so a discussão que está provocando em todos os niveis da sociedade, pra mim já vale a pena!
Beijo pra você.

6:11 PM  
Anonymous Fernando said...

Flavio, sem duvida estamos mais sintonizados nesse assunto. Muita gente acha que o referendo e' inutil porque nao trata diretamente das armas ilegais ou que as armas legais nao matam. Alias, acho que pouca gente leu a lei em si.

Quando morei nessas bandas, nao me lembro de terem tratado muito do assunto. Como anda a coisa ai' na Italia?

Abracos

6:38 PM  
Anonymous Viva said...

Seu texto é curto e eficiente, Flávio. Apoiamos o SIM pelos mesmos motivos.

6:52 PM  
Anonymous Luiz said...

Belo post Flávio. Estamos de acordo. Abraço

7:31 PM  
Blogger Milton said...

Texto curto e perfeito. Não precisa mais. Está tudo aí, resumido na forma de uma tremenda porrada.

O incrível é que a coisa é simples. Eu escrevi centenas de palavras e concluí que minha opinião estava inserida na equação "mais armas, mais mortes; menos armas, menos mortes".

Abraço.

9:29 PM  
Anonymous Vanessa said...

Uma vez, um primo querido que morava em Brasilia, entrou bebado na casa (germinada) do vizinho (que o viu crescer) e tomou um tiro, confundido com um ladrao. Morreu.

Um amigo de infancia do meu irmao morreu aos 9 anos de idade com um tiro na cabeca. Ele foi alcancar a espingarda pela alca, que estava no alto do guarda-roupa, na casa do tio. Ela disparou enquanto caia...

Uma vez, o meu pai (que tem porte de arma), tentando se defender de um ladrao, disparou a queima-roupa. O ladrao era de galinha e estava desarmado. A arma era velha e nao funcionou. Ninguem saiu ferido, mas poderia. E meu pai (e toda a minha familia) agradece todos os dias pela intervencao (divina?). Porque é isso que passa quando se tem uma arma em casa. A gente passa a acreditar que pode resolver tudo "a bala".

No meu caso, nada disso é ficticio. Tudo aconteceu. E como voce bem destacou, acontece. Todos os dias. Por isso, eu também voto SIM ao desarmamento!

Excelente texto, Flavio!
Abracos,
Vanessa

9:45 PM  
Anonymous Leila said...

Flavio, isso mesmo, arma dentro de casa é um grave perigo. A possibilidade desta arma acabar matando inocentes é bem maior do que ela ser usada em legítima defesa. Bjs,

10:53 PM  
Anonymous Dani said...

Pois é Flavio... mas infelizmente muitos brasileiros ainda querem brincar de polícia e ladrão. Parabéns pelo texto! (uma dúvida: vocês, brasileiros no exterior, também deverão votar?)

11:21 PM  
Anonymous Juliano said...

Excelente texto, Flávio. As coisas são simples assim. Não reconhece quem não quer. Abraços.

12:14 AM  
Blogger Nina said...

Isso é real, né?
Por isso eu voto SIM!
Abraços...

2:38 AM  
Blogger luma said...

Uma criança que "brinca" com armas não deve ter uma estrutura familiar legal. Que tal um referendo para melhorar a qualidade de vida do brasileiro? Rever o que causa tanta violência e não achar a resposta em um objeto.

3:06 AM  
Anonymous Claudio said...

Esperamos Flávio que esse referendo seja pela vitória do sim. Pelo time do não, temos toda a indústria e o comércio de armas jogando pesado na publicidade, chegando a usar macetes apelativos para conseguir resultados positivos
Torcemos para o povo não cair nessas armadilhas.....

4:57 AM  
Blogger Allan Robert P. J. said...

O tema é muito complicado; a incompetência do governo em esclarecê-lo é cristalina (o que me faz questionar os reais interesses... deixa pra lá); a campanha foi mal elaborada. Está tudo muito confuso. Só o seu texto foi curto e preciso.

5:30 AM  
Anonymous Americo said...

Quando criança, meu irmão colocou na boca um pouco de soda cáustica, confundinfo com leite em pó (pasmem, a lata tinha uma vaquinha no rotulo). Acho que deveriam parar de vender soda caustica, pois pode ser mortal (a proposito, ele não morreu, só ficou com os beiços daquele tamanho...)

Tem um vizinho que estava no ponto de onibus, veio um carro e atropelou, ele e mais tantas pessoas que estavam no ponto. Acho que deveriam proibir a venda de carros, já matou muitos e acho que muitos mais do que as armas...

Tem um parente distante que comprou um liquidificados, o filho dele colocou a mão...........

Assim como a lei não é feita para proteger os muito tolos, NADA VAI CONSERTAR O MAU USO!!! Muito menos leis idiotas que só vão fazer aumentar a corrupçao (tipo venda de licença, venda de porte de armas, etc, etc, etc)

1:20 PM  
Anonymous Vivien said...

Adorei o texto. As propagandas a favor do SIM estão muito fracas e com argumentos frágeis, eu adoraria que elas estivessem no nível desse texto. Com certeza, voto SIM.

1:36 PM  
Blogger Denise Arcoverde said...

Tô com você e a Vanessa, Flavio... os casos que eu conheço são de pessoas mortas por "acidente", por alguém ter arma em casa, isso pra mim já é motivo suficiente pra ser absolutamente a favor do desrmamento. Beijo!

3:30 PM  
Anonymous gugala said...

já matei muito pardal qdo criança, mas para comer.

8:48 PM  
Anonymous pecus said...

Apoiado. Prada para deputado.

9:48 PM  
Blogger herbert farias said...

Receio que o controle seja tão fictício quanto o texto.

10:18 PM  
Blogger Idelber said...

Estamos mais uma vez em total acordo, mestre Flávio! E o texto pode ser fictício, mas descreve situaçoes bem comuns. Abraços chilenos,

1:46 AM  
Anonymous Luninha said...

Muito boa a história!!! As pessoas acham que só porque existem outras prioridades, devem votar NÃO ou agora querem fazer um referendo para tudo!! Se o governo não consultam reclamam, se consultam, também!! Ô gente difícil!!

3:35 AM  
Blogger lima said...

Eu penso que as estatísticas alarmantes que mostram dor e sofrimento, levam a acreditar que a arma não protege o pobre, a criança, a mulher, o negro; e que, aqueles que defendem sua livre comercialização, o fazem pensando em defender seu patrimônio e família. A eles a proibição não atingirá. Acredito que o sim deva vencer, pois é a defesa da vida, e a defesa justamente daqueles que não podem se defender. Armas são feitas para matar pessoas de forma rápida e fácil. Quero escolher em que tipo de sociedade meus filhos e meus netos possam viver.
abraço, garoto

8:56 AM  
Blogger Zootv said...

Em portugal aconteçe mas nao com tanta frequencia mas aconteçe e nao devia.. Um maior controle na venda ou mesmo nao vender era o ideal! Armas para o exercito e policia, nada mais!
abraços

11:35 PM  
Anonymous Sandra said...

Grande texto, amigo. Mais um voto para o sim!!!

2:41 AM  
Blogger helio said...

eu pensava como o Flavio, inclusive entreguei minha arma na campanha do desarmamento...
numa noite estava em casa reunido com a familia quando minha porta foi arrombada por 2 individuos, eles entraram e estruparam minha mulher e minha filha, se eu nao tivesse doado minha arma teria evitado essa desgraça...
esse testo e ficticio mas acontesse corriqueiramente...
antes de desarmar a populaçao, nos devemos nos sentir seguros, e isso esta longe de acontecer....

2:37 PM  
Anonymous Um Paulista Infeliz e Desiludido said...

São Paulo foi o campeão em entrega de armas... O desarmamento fazia sentido... traria a paz... até acreditei nisso como sendo verdade...

Hoje me arrependo profundamente de ter votado no sim e mais ainda de ter incentivado as pessoas à se desarmarem.

Hoje São Paulo é um estado tomado pelo PCC. Os bandidos não temem mais à ninguêm, pois agentes da segurança pública estão em minoria contra eles... tornaram-se alvo fácil... e suas famílias estão tambêm começando à ser alvos dos bandidos...

E, o que me deixa ainda mais aborrecido, é saber que o Rio Grande do Sul é um estado que possui uma população muito mais armada que a nossa, e muito menos crimes...

Realmente, é muito mais difícil colaborar com a polícia quando não se tem uma arma na gaveta, pronta para ser usada em caso de tentativas de retaliação por parte dos criminosos...

Hoje estou desiludido com a situação. Me vejo obrigado à abandonar o estado aonde moro por amor à minha esposa, que trabalha com segurança pública... e ela se viu obrigada à pedir transferência para outro estado...

Torcer pelo sim foi uma grande festa... mas agora a festa acabou, e só sobrou uma terrível ressaca do dia seguinte...

3:21 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

More blogs about lixo tipo especial.